A obesidade é uma condição crônica difícil de ser tratada e a cirurgia é uma opção para pessoas severamente obesas que já tentaram de diversas formas emagrecer, sem sucesso. Entretanto, como qualquer outro tratamento para a obesidade, o sucesso depende principalmente do comprometimento do paciente, não apenas depois, mas também antes da cirurgia bariátrica.

Fazer cirurgia bariátrica não é sinal de fracasso, e sim mais uma opção para casos difíceis. Porém, caso você esteja em dúvida sobre fazer, esse post “Não quero fazer cirurgia bariátrica. O que fazer?” pode te ajudar.

Preparo psicológico para a cirurgia bariátrica

Antes da cirurgia, é fundamental revisar questões de comportamento alimentar do paciente, como a relação dele com a comida e a posição que ela ocupa em sua vida. Para isso, são importantes o terapeuta psicólogo e nutricionista comportamental.

O acompanhamento nutricional e psicológico inicia-se no período pré-operatório e deverá ser regular durante todo o período de perda de peso. Após estabilização, o paciente deverá retornar a cada seis meses.

Se a equipe que vai operar o paciente não o orientou a buscar terapia psicológica para se preparar para a cirurgia, para o seu novo corpo e sua nova vida com a comida, desconfie da honestidade e cuidado que esta equipe presta aos seus pacientes.

Em relação ao acompanhamento nutricional, a melhor linha da nutrição para esses pacientes é a nutrição comportamental, por trabalhar a relação que o paciente tem com a comida, e quando em conjunto com o terapeuta que atende esse paciente, os resultados são ainda mais eficientes.

Alimentação antes da cirurgia bariátrica

A orientação nutricional no período pré-operatório tem como objetivos 1) preparar o paciente para o programa de alimentação do período subsequente à cirurgia, 2) promover uma reeducação alimentar que possibilite a perda de peso sem que desenvolvam-se deficiências nutricionais e 3) treinar o paciente a comer com atenção, mais devagar, mastigando bem os alimentos, comportamento que será extremamente importante depois da cirurgia.

Este processo de preparo para a cirurgia bariátrica facilitará o pós-operatório, evitando desconfortos físicos, intercorrências, favorecendo a perda de peso saudável e a manutenção dos resultados depois, evitando recaída (reganho de peso).

Para isso, é preciso pensar em como se manter magro e saudável após a cirurgia. Para que a cirurgia funcione ainda assim você precisará aprender a:

  • Realizar boas escolhas alimentares;
  • Manter um estilo de vida mais ativo;
  • Buscar um comportamento alimentar mais saudável;
  • Conhecer e respeitar a sua nova anatomia, que deixará de ser “normal”.

Processo digestivo normal

Quando mastigamos os alimentos, envolvemos-os na saliva, que tem uma enzima  chamada ptialina, que já começa a digestão dos alimentos na boca. Depois, quando engolimos, eles movem-se do esôfago para o estômago, onde um ácido forte continua o processo digestivo do alimento que foi iniciado pela saliva, e que foi triturado pelos dentes. Ou seja, o estômago apenas continua o trabalho dos dentes e da saliva.

O estômago pode reservar grandes quantidades de alimentos de cada vez. Quando o conteúdo do estômago move-se para o duodeno, que é a primeira parte do intestino delgado, os sucos biliares e pancreáticos aceleram a digestão.

No jejuno e no íleo, as outras duas partes do intestino delgado, ocorre a absorção de quase todos os nutrientes. As partículas alimentares que não são digeridas no intestino delgado são armazenadas no intestino grosso e, então, eliminadas nas fezes.

É assim que o seu trato gastrointestinal funciona hoje. Com a cirurgia ele vai mudar.

A nova anatomia

As cirurgias para tratamento da obesidade modificam o processo normal de digestão e absorção dos nutrientes. Por isso, é muito importante que você compreenda que a diminuição do tamanho do seu estômago afetará a capacidade de ingerir grandes volumes de alimentos, como você faz atualmente.

Essa é, provavelmente, a maior mudança que você irá sentir. Por isso é tão importante buscar uma terapia antes de fazer a cirurgia, pois a comida não poderá mais servir de recompensa, alívio, conforto, anestésico, distração ou companhia.

Além da terapia cognitivo-comportamental com psicólogo, é muito importantes buscar um nutricionista que atenda na linha da nutrição comportamental para ir se trabalhando na mudança da sua relação com a comida, como falei anteriormente.

Saiba mais sobre a nutrição comportamental AQUI.

Prepare-se para a alimentação após a cirurgia bariátrica

De maneira geral, a principal mudança na alimentação que você sentirá após a cirurgia é a diminuição importante na quantidade de alimentos consumidos diariamente devido à redução do estômago. Além disso, cuidados com a alimentação são fundamentais e é importante que você esteja ciente deles antes da cirurgia.

Na dieta para cirurgia bariátrica existe um plano gradual de introdução de alimentos. Inicialmente você conseguirá comer no máximo duas colheres de cada vez, sem sentir desconforto e ânsias. Depois, conforme progredir para a ingestão de alimentos mais sólidos, as quantidades toleradas podem ser maiores. A alimentação evolui gradativamente de acordo com a tolerância de cada um, mas normalmente envolve uma adaptação de 4 meses.

Saiba mais sobre a perda de peso após a cirurgia bariátrica.

É importante ressaltar que essas evoluções deverão ser acompanhadas por seu Nutricionista para preservar sua saúde.