Para muitos, encarar a balança é um verdadeiro desafio – quase um trauma! Tenho pacientes que em meses de acompanhamento se pesam e não querem saber o peso, só o quanto emagreceram. Há pessoas chegam a remarcar a consulta com o nutricionista porque têm medo de encarar a pesagem, só de pensar que o resultado pode não ter sido satisfatório.

Mas sejamos honestos: se você está conseguindo executar na maior parte do tempo o seu plano alimentar, não há o que temer. Mesmo que o “ponteiro” ainda não marque o número que você deseja, você está no caminho certo, e é isso que importa, o resto é conseqüência!

Se, ao subir na balança, você comprovar que emagreceu, se sentirá recompensado por todos os seus esforços e ainda mais motivado a continuar. Mas se, ao contrário, ver que não alcançou o resultado esperado, você precisa ser franco consigo mesmo: estou mesmo cuidando da minha alimentação? Estou mesmo trabalhando na melhora do meu comportamento? Estou mesmo comprometido com o meu objetivo? Estou colocando metas realistas? Ou seja, as minhas expectativas de emagrecimento estão alinhadas com a realidade? É possível emagrecer o que eu espero no período de tempo que estou me impondo? Lembre-se: Não existe meta impossível, apenas prazo mal colocado. É importante colocarmos prazos, porém eles têm que ser realistas e também precisam ter certa flexibilidade.

Quando o número na balança não é o almejado, é preciso muito cuidado para que isso não se transforme em desmotivação para continuar. Você poderá sim se sentir triste, chateado e sem esperanças, mas se você permanecer nessa programação mental negativa, isso poderá levá-lo a embarcar em um dia de “comilança” ou até mesmo desistir. Ou seja, você pode pensar: “Já que não consegui mesmo emagrecer, vou comer tudo o que eu quiser”. Este é um pensamento nada produtivo. 

Se você engordou ou manteve o peso, procure deixar as emoções desagradáveis de sentir se dissiparem e manter pensamentos positivos. Esse resultado pode ser apenas um indicador de que talvez você esteja fazendo algo que precise ser corrigido. Por outro lado, se você esteve realmente comprometido e mesmo assim manteve ou aumentou de peso, tenha em mente que o seu corpo pode estar passando por alterações biológicas, como retenção de líquido ou alteração hormonal (que a gente não pode controlar), e a diferença de cerca de 1 quilo nesse caso é absolutamente normal, ou efeito do exercício que você possa ter feito no dia anterior. São fatores que fogem do nosso controle. Mantenha a calma, continue cuidando da sua alimentação, e fique certo de que isso passará e você continuará emagrecendo.

Para ter uma noção melhor de como o seu peso e corpo funcionam, você pode criar um gráfico. Pese-se uma vez por semana, sempre no mesmo dia ao acordar, sem roupa, após urinar e antes de comer o café da manhã, e vá anotando seu peso. Com o gráfico, você terá uma visão geral dos seus progressos. Mas atenção: você provavelmente não perderá peso toda a semana, e isso é normal.  Tenha paciência para seguir adiante. Esse acompanhamento pode te ajudar a conhecer o seu próprio corpo e o impacto que certas situações ou decisões têm no seu peso. Ajudará também a conhecer como as alterações biológicas (aquelas que a gente não controla) afetam o seu peso. Você verá também que a evolução do emagrecimento em um gráfico normalmente não é uma linha reta descendo (essa é a expectativa), e sim parece mais uma linha em zigue-zague descendo. Se você se sentir mais ansioso fazendo isso, então se pese apenas com o seu nutricionista. Essa técnica pode não ser benéfica a todos.

Enfim, é importante usar a informação do peso para ir ajustando o seu plano alimentar e lapidando o seu comportamento. A balança nada mais é do um instrumento de informação, e te informa se o que você está fazendo está te levando para a direção que você quer ou não. Por outro lado, terão semanas que você simplesmente não vai emagrecer, e isso é absolutamente normal. Lembre-se que o nosso corpo não é baseado em física, não é uma ciência exata; o nosso corpo é biológico, e muitas coisas nele a gente não controla; não é uma máquina em que se liga o botão ON Modo Emagrecimento. O ponto é: quando subir na balança, suba com um “mind set saudável”!

Se você já emagreceu e quer saber como manter o peso, clique AQUI.

Se você quiser saber qual é o seu peso ideal, clique AQUI.

Se você tem dificuldade para emagrecer, clique AQUI.

Nutrição comportamental e mudança da relação com a comida: a melhor “dieta” para emagrecer.