Comer quando tem fome e parar de comer quando se sente satisfeito. O comportamento perfeito. A lógica é simples, não é mesmo? Infelizmente, não na prática. Então, como parar de comer na hora certa?

A maioria das pessoas tem dificuldade de identificar a hora certa de parar de comer, ou sabe identificar mas não consegue parar na hora certa. Muitas coisas podem atrapalhar nesta hora. Afinal, se fosse tão fácil, não comeríamos (muito) mais do que precisamos!

Porque comemos demais

O desrespeito à saciedade, que leva ao comer exageradamente, acontece quando as pessoas não conseguem identificar claramente quando estão com fome e quando estão satisfeitas, porque confundem outras sensações e sentimentos com a fome. Portanto, não sabem identificar o sinal interno, vindo do estômago, de que é o momento de parar de comer.

As pessoas comem além da conta também por outros motivos, como, por exemplo:

  • Por medo de sentir fome mais tarde;
  • Por hábito, automatismo;
  • Desatenção enquanto come;
  • Necessidade de preencher um vazio interno;
  • Conceito distorcido de que saciedade é comer até estufar;
  • Dificuldade de deixar comida no prato;
  • Pelo prazer de sentir a sensação de que comeu bastante, aquela sensação de estar cheio, preenchido, empanturrado.

Portanto, a dificuldade de emagrecer pode estar relacionada a esse tipo de comportamento.

O que é saciedade

Muitas pessoas têm a falsa ideia de que estar satisfeito é comer até estufar, que acreditam que sentir algum desconforto do “tipo cheio” após uma refeição é normal. Mas não é. O normal é você sentir-se bem, saciado e sem fome, mas também sem desconfortos de estufamento ou peso no estômago.

Este é um dos pontos-chave que precisa ser modificado no modo de pensar. Quebrar este paradigma é fundamental para mudar esta mentalidade.

Estar satisfeito é sentir-se saciado, ou seja, nem cheio e nem com fome, é sentir-se confortável após comer. Estar estufado é estar com o estômago cheio e sentir incômodo, ou muito cheio a ponto de ter a necessidade de abrir a calça ou ter de caminhar ou ter dificuldade de respirar depois de comer, sentir-se explodindo ou que não entra mais nem uma gota de água.

Quer saber um truque para saber se comeu demais? Imagine-se caminhando apressadamente por 2 quadras logo após a refeição. Não conseguiria? Então, você provavelmente exagerou. O normal seria você conseguir fazer uma caminhada a passos largos logo após comer.

Porque nos desconectamos do nosso corpo

As pessoas vão perdendo a noção de saciedade com o tempo em função da ansiedade, da confusão entre fome e outras emoções, por comerem rápido ou distraídas ou, pela prática de dietas durante a vida.

Muitas vezes, essas pessoas já receberam tantas orientações externas do tipo “coma x quantidade disso tal hora, x quantidade daquilo tal hora”, que  ficam com receio de confiar no seu próprio corpo e nos seus sinais internos.

Ou, ainda, essa percepção distorcida pode começar quando se é bebê ou criança pequena, quando os pais ou responsáveis servem porções equivalente a de um adulto à criança, com a falsa ideia de que a criança precisa comer bastante, e a obrigam a comer tudo mesmo que a criança não queira mais comer (por que já estava satisfeita).

Esses são alguns motivos que levam as pessoas a “aprender” a desrespeitar o próprio corpo e a se desconectar dos seus sinais internos de fome (estou com fome, vou comer) e de saciedade (já estou sem fome, posso parar de comer; já estou satisfeito, se eu continuar ficarei estufado) e acabarem comendo demais.

Por esses motivos, vamos nos desconectando do nosso corpo, negligenciando os sinais dele para passar a respeitar as regras externas e distorcidas que vamos aprendendo ao longo da vida.

Como resgatar o respeito à saciedade

Portanto, para aprender a identificar quando você está satisfeito, você precisará se testar e se autoconhecer. Comer sem distrações, com a mente presente no momento da refeição (e não nos problemas, por exemplo) e, consequentemente comer mais devagar, vão te ajudar a perceber o momento certo de parar de comer (para saber mais clique AQUI e AQUI).

Afinal, quantas vezes acontece de comermos rápido ou distraídos e quando nos damos por conta já comemos demais?

Poderão surgir pensamentos sabotadores para impelir você a comer mais no momento em que você decidir que é a hora de parar de comer. Pensamentos como: “posso sentir fome depois, é só um pouquinho, não posso deixar sobras no prato”… Eles são involuntários.

Analise esses pensamentos racionalmente e lembre-se: se você está satisfeito, não precisa comer mais! Com certeza conseguirá esperar até o próximo momento de comer – sempre haverá uma próxima refeição.

Se você terminar de comer uma refeição e sentir-se frustrado por “não poder” comer mais, pense que daqui a 3 ou 4 horas, quando a sua fome voltar, você comerá alguma outra coisa. Não é tanto tempo assim, não é mesmo? É apenas um desconforto, você pode lidar com ele!

Experimente comer sem exagerar e sinta a sensação agradável de ter comido na medida certa. Aos poucos, você irá dar-se por conta que não é preciso comer exageradamente para sentir-se satisfeito e não se sentirá mais em privação. Modificar o conceito de saciedade é importantíssimo, pois é um dos pontos chave para manter-se magro.

Nutrição comportamental e mudança da relação com a comida: a melhor “dieta” para emagrecer!