Para ilustrar os mitos da motivação, vou contar a história da Aninha e sua amiga Motivação.

A Aninha estava querendo emagrecer, mas se sentia sem motivação, por que tudo parecia muito difícil, muito trabalhoso de se fazer. Se sentia como um urso hibernando, tentando concentrar energia para agir, quando a motivação chegasse. Por mais que quisesse emagrecer, sentia-se sem energia, e quanto mais valorizava a sua falta de energia, mais sem motivação se sentia, mais impotente e desesperançosa.

Um dia ela estava caminhando de um lado para o outro em casa, nervosa, como se estivesse procurando algo, e a sua mãe perguntou: “O que você está procurando Aninha?” Ela respondeu: “Estou procurando a Motivação, que eu não encontro, para me ajudar a emagrecer!”. A mãe dela pensou que ela deveria estar maluca, e respondeu: “Bem, de repente você terá que parar de esperar a Motivação chegar, vai ficar esperando quanto tempo por ela? Ela é uma grande amiga, eu sei, sempre ajuda muito, eu também tenho a minha Motivação, só que é engraçado, nem sempre podemos contar que ela chegue na hora certa. Lembra daquela vez que você ficou esperando meses e meses a Motivação chegar, você ficou cada vez mais frustrada e impotente, se achando incapaz, até que você teve a luz de agir em prol de ti mesma, mesmo sem a presença da Motivação, você começou a fazer o que tinha que ser feito, e no caminho encontrou a Motivação para continuar e fazer cada vez mais!”. Aninha respondeu: “É verdade, mãe… Quantas coisas que eu tenho dificuldade de fazer ou não tenho vontade de fazer, e eu faço por que é preciso, mesmo sem a ajuda da Motivação, e eu consigo, eu faço e me sinto bem por ter feito. Por exemplo, eu odeio passar roupa, mas eu tenho que passar, então não posso ficar esperando a Motivação para me ajudar. Vou lá e passo, não fico me questionando. Imagine se eu fosse esperar a Motivação chegar para fazer isso, todas as minhas roupas estariam amassadas!”. Mãe: “Pois é, Aninha, muitas vezes é preciso agir apesar de não ter vontade, sem a Motivação, e aí com certeza você a encontrará no meio do seu caminho, e poderá já mostrar muitos resultados para a Motivação. Você precisa romper esse ciclo vicioso e SIMPLESMENTE COMEÇAR POR ALGUM PONTO!”. Aninha ficou pensativa: “E por onde posso começar? Não gosto de nenhuma das tarefas relacionadas ao emagrecimento, não gosto de alimentos saudáveis, não gosto de cozinhar, não gosto de ir no super mercado, não gosto de exercício, não gosto da ideia de ter que me esforçar para mudar”. A mãe respondeu: “Um dia a minha amiga Motivação me confidenciou em segredo que a gente precisa estar disposto a fazer o que não queremos… que precisamos aceitar todos os desafios, não só aqueles que preferimos. Lembra quando você fez faculdade? Você não queria ter que fazer o trabalho de conclusão, mas fez, e foi útil para se formar, se não, não poderia ter colado o grau. O ponto é aceitar que são coisas importantes para o seu emagrecimento. Pode te trazer um certo desconforto esse esforço, mas é um desconforto construtivo. Precisamos aprender a tolerar com paciência esses desconfortos construtivos para alcançar mudança em nossas vidas. Lembre que é um esforço temporário, e o orgulho será para sempre”. Aninha: “Ah, mãe, foi tão bom conversar contigo sobre a Motivação, ela é uma grande amiga, me ajuda muito quando está presente, queria muito que ela estivesse aqui para me ajudar, e eu realmente estava triste por ela não aparecer, achando que ela não queria mais saber de mim, que eu era uma perdedora, mas não vou mais esperar por ela, é só isso, não é nada pessoal dela comigo. Eu vou é calçar meus Nikes Mentais, e simplesmente fazer! Ela que me encontre depois!”