A pessoa com excesso de peso e as pessoas magras pensam de maneira diferente sim sobre a comida, com exceção dos chamados “magros de ruim”. Mas, afinal, que diferenças são essas?

Diferenças na forma de pensar sobre a comida

Mas, afinal, como uma pessoa magra pensa?

Uma grande diferença é que os magros não confundem fome física com o desejo de comer, e é muito comum as pessoas com excesso de peso fazerem esta confusão.

Elas pensam estar com fome ou não sentem a satisfação de ter comido, mesmo quando já estão com o estômago cheio.

Outra diferença é que o magro não tem tantos desejos de comer, porque normalmente sabe lidar de maneira mais saudável com as emoções consideradas desagradáveis de sentir.

Normalmente ele também tem um repertório de atividades prazerosas maior e, por isso, as pessoas magras não gastam tanto tempo pensando em comer ou em comidas.

Para diferenciar fome física e desejo de comer necessário prestar atenção ao seu próprio corpo e às sensações que sente após comer e quando está com o estômago vazio, pois só assim você aprenderá a identificar os sinais internos do seu corpo.

Saber tolerar o desejo de comer

Outra característica dos magros é a maior tolerância à fome e ao desejo de comer. A pessoa com excesso de peso pode, por exemplo, ter um desejo incontrolável de comer algo e ficar remoendo esta ideia.

Ou, então, ficar pensando em quando terá a oportunidade de comer de novo e isso acaba ocupando muito tempo do dia dela.

Nestes casos é preciso observar a própria mente para identificar os pensamentos distorcidos e responder a eles de forma adaptativa.

A pessoa com excesso de peso pode, em um primeiro momento, pensar que seu desejo de comer é realmente urgente, como “Não sou capaz de suportar esse desejo”.

Mas, se ela pensar racionalmente, pode responder ao pensamento:

“É apenas um desconforto, sou capaz de lidar com isso/posso esperar para comer dentro de algumas horas, quando sentir fome de fato”, e desviar o foco para outras atividades.

Quando se der por conta, o desejo provavelmente terá se dissipado.

Saber respeitar a saciedade

Uma outra característica das pessoas magras é não gostar da sensação de comer exageradamente, daquela sensação de estufamento.

A pessoa magra costuma respeitar a sua saciedade, aquele sinal enviado pelo estômago ao cérebro de que ele está confortavelmente saciado.

Comer além do ponto de saciedade pode ser ocasionado por não querer sentir-se em privação, estar preocupado em sentir fome antes da próxima refeição ou ter-se acostumado a comer grandes quantidades.

Não se auto enganar

Iludir-se sobre a quantidade que come também não é uma característica de pessoas magras. Mas quem está tentando emagrecer pode pensar, por exemplo, que comer os farelos de um pão ou raspar o fundo do pote de sorvete não contam como calorias.

Na verdade, justificativas para comer bastante não faltam! A pessoa com excesso de peso pode dizer que comeu demais porque estava de férias ou em um aniversário, embora isso não justifique, pois é possível estar em um evento e comer quantidades normais.

Diferenças sobre como lidar com as emoções

Um elemento muito comum também é usar a comida para se confortar, seja por estar ansioso, chateado, triste, frustrado, entediado, sozinho, etc.

É importante, neste caso, encontrar outras maneiras para se acalmar e não utilizar a comida para regular emoções desagradáveis como forma de evitar senti-las.

A desesperança em relação a emagrecer e encarar como uma catástrofe um leve aumento de peso são outras característica que não fazem parte das pessoas magras.

Elas costumam olhar os descuidos como experiências, e não ficam desesperadas quando constatam que engordaram um pouco.

Elas simplesmente retomam o cuidado, sabendo que é uma questão de tempo para o peso voltar ao normal.

Mesmo se comer demais em uma festa, por exemplo, uma pessoa magra irá retomar a alimentação habitual imediatamente.

Um exagero situacional não a faz acreditar que, por aquele momento de exagero, está tudo perdido e não adianta mais continuar.

Sensação de injustiça

A pessoa com excesso de peso pode pensar, também, como é injusto que algumas pessoas possam comer o que quiserem sem engordar e ela não, embora isso não seja totalmente verdade.

As pessoas magras, muitas vezes, comem menos do que gostariam e na maior parte do tempo escolhem alimentos saudáveis em detrimento de algo que gostariam de comer.

E, na verdade, uma pessoa magra comendo livremente pode estar apenas em um momento de exagero. Ou seja, não significa que ela se alimente sempre de forma exagerada.

Constância

Por fim, uma característica muito importante das pessoas magras: elas não interrompem os cuidados com a alimentação assim que emagrecem.

E como elas conseguem isso? Mantendo não apenas o cuidado com a alimentação, mas a atenção aos seus pensamentos, sentimentos e comportamentos alimentares.

Nutrição comportamental e mudança da relação com a comida: a melhor “dieta” para emagrecer.