Desde criança ouvimos expressões como “gastrite nervosa”, ou relatos de alguém que fica com o intestino solto na véspera de uma prova, de ter recebido uma notícia ruim e a digestão ter sido prejudicada e coisas do tipo. Mas, afinal, isso é acontece mesmo? Como as emoções causam sintomas gastrointestinais?

Às vezes estamos com muitos desconfortos gástricos ou intestinais e o médico não identifica nada que os justifique, nem através de exames, e ele nos diz: “deve ser a sua ansiedade”, “você deve estar muito estressado”, “tomar um antidepressivo poderia ajudar”, e podemos ficar chateados ou insatisfeitos com esse tipo de resposta. Mas, ele pode estar coberto de razão.

A questão é que, como ele normalmente não nos explica direito essa história, não nos conformamos com esse tipo de resposta. Não que a gente deva, mas é o que entendimento ajuda a gente a mudar em nossa vida o que é preciso.

E há mais um fator que dificulta muito: podemos não estar conscientes dos quão ansiosos somos, ou do quão estressados estamos. Talvez terminar o dia exausto seja normal para você. Assim como acordar exausto, viver preocupado ou com medo, dormir mal, trabalhar 12 h por dia ou mais… etc. Mas não é.

Vou te explicar 2 formas pelas quais as emoções afetam o funcionamento do nosso trato digestório, tanto a nossa digestão quanto a nossa evacuação:

Como a ansiedade causa sintomas gastrointestinais:

A ansiedade é uma emoção derivada, ou seja, que deriva de uma das emoções básicas do ser humano, que é o medo. Portanto, quando estamos ansiosos, estamos com medo, incertos, inseguros de algo.

Quando estamos com medo, nosso cérebro aciona um fenômeno chamado “luta ou fuga”. Esse fenômeno é evolutivo, lá dos tempos das cavernas. Então, quando o homem das savanas se deparava com um leão, o corpo dele se preparava para lutar ou para fugir do leão.

Numa situação dessas, os membros, os músculos é que recebem toda a energia. Então, se ele estivesse digerindo algum alimento naquele momento, a digestão seria interrompida. Diversos sintomas podem ocorrer quando a digestão é interrompida, como: empachamento, refluxo, azia, dor de estômago, arrotos, náuseas, até mesmo vômito. Vômitos podem acontecer pois a tendência do corpo é querer se livrar daquilo que ele não pode dar conta naquele momento.

No intestino, ou o organismo dele iria reter as fezes, causando constipação, pois seria impossível fazer cocô num contexto de luta ou fuga, ou ele iria expelir as fezes, por não poder dar conta delas, causando diarréia ou fezes explosivas.

Obviamente hoje em dia os nossos leões não são leões de verdade; nossos leões são pensamentos do tipo “e se”: mas e se eu for mal na prova? E se o chefe me demitir? E se eu for assaltado? E se eu não der conta de pagar a prestação? E se o meu filho estiver mesmo doente? Esses pensamentos são pensamentos que despertam emoções como medo e, portanto, ansiedade.

Portanto, quem é ansioso – algo super comum hoje em dia – vive com medo, vive vigilante, alerta, vive “na adrenalina”. E o que a adrenalina faz? Contrai os esfíncteres, com isso o conteúdo presente no trato digestório não consegue passar. Resultado: arrotos, refluxo, empachamento, dor de estômago, gases, distensão abdominal, constipação…

Como o estresse causa sintomas gastrointestinais:

O estresse (que pode ser resultado inclusive da ansiedade) consome muita energia do nosso corpo. Ou seja, quando estamos estressados, temos uma necessidade nutricional bem maior. Por isso começam a cair os cabelos, as unhas ficam fracas, a pele fica sem viço… Se o organismo está precisando de nutrientes para outras funções importantes, ele não vai reservar nutrientes para cabelo, unha e pele, certo?

Só que o organismo pode começar a economizar nutrientes em outras funções importantíssimas, como para a digestão. Para a digestão acontecer adequadamente, são necessários diversos nutrientes para a produção de ácidos e enzimas.

Não tendo nutrientes suficientes para essas funções, a produção começa a ficar diminuída, podendo levar hipocloridria, e que vai levar a diversas conseqüências ruins à saúde de forma geral, como disbiose intestinal, permeabilidade intestinal aumentada, infecção por helicobacter pilory, imunidade baixa, alergias e sensibilidades alimentares.

Disbiose intestinal e permeabilidade intestinal aumetada podem levar a diversos outros problema de saúde, inclusive fora do trato digestório.

Então, a causa dos seus problemas digestivos e intestinais pode ser a alimentação? Pode. Pode ser o seu comportamento alimentar? Sim. Mas, também podem ser suas emoções e como você lida com elas, bem como pode ser a maneira como você tem levado a sua vida. Pense sobre isso.