Loading...
Sobre a Nutricionista em Porto Alegre e São Leopoldo2017-05-22T20:41:38+00:00

Sobre a profissional

Uma nutri e três paixões!

Entrar para o universo da nutrição me fez enxergar os alimentos e o próprio ato de comer de outra maneira. Sou Adriana Lauffer, uma nutricionista apaixonada por três áreas em especial: nutrição funcional,  gastroenterologia e comportamento alimentar.

Nutrição Funcional

A paixão pela Nutrição Funcional surgiu quando eu conheci a professora Gilberti Hubscher, ainda na Universidade Feevale. Ela me mostrou que a nutrição era muito mais que contagem de calorias, vitaminas, minerais, gramas de carboidratos, proteínas e gorduras, como ensina a Nutrição Tradicional. Ainda bem que ela passou pela minha vida!

Gastroenterologia e Nutrição

O interesse pela Gastroenterologia surgiu logo no primeiro semestre da faculdade de Nutrição, nas disciplinas de Anatomia e Fisiologia. Até cogitei estudar medicina, mas eu não queria lidar com medicamentos, e sim com alimentos… Hoje agradeço por ter me dado conta disso!

Comportamento alimentar x emagrecimento e saúde

Já a paixão pelo estudo do Comportamento Alimentar surgiu ao longo dos anos de prática clínica nos meus consultórios em São Leopoldo e Porto Alegre. O desejo de entender mais sobre as dificuldades dos pacientes para emagrecer e para melhorar saúde, e a busca por tentar proporcioná-los mais resultados me levaram nessa direção.
Cheguei a iniciar a faculdade de Psicologia em 2013, mas mudei de ideia: preferi focar no aprendizado de técnicas mais direcionadas à nutrição e à mudança de comportamento alimentar, como o coaching e abordagem cognitivo comportamental.
Então, o meu trabalho é baseado em reeducação e mudança do comportamento alimentar, utilizando conhecimentos da nutrição clínica tradicional e funcional (conforme o caso e a necessidade), técnicas de coaching e abordagem cognitivo comportamental, para emagrecimento, saúde e qualidade de vida. Para entender mais, leia o post “Como emagrecer sem fazer dieta“.

Formação

É claro que todas estas paixões e interesses me levaram sempre a estudar e buscar mais e mais conhecimento e aperfeiçoamento.
Sou formada em Nutrição pela Universidade Feevale (2006), especialista em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria (2008) especialista em Nutrição Clínica com Ênfase em Adulto pela Unisinos (2010), sou mestre (2010) e doutora em Ciências em Gastroenterologia e Hepatologia pela Faculdade de Medicina da UFRGS (2014).
Morei em Leuven, na Bélgica em 2012, onde realizei através de PhD Sandwich os experimentos do meu doutorado em uma das universidades mais tradicionais da Europa, a KU Leuven (desde 1425) onde fica o laboratório de pesquisa experimental TARGID, um dos mais famosos do mundo por ser chefiado por um dos pesquisadores mais ilustres atualmente na área da Gastroenterologia, o belga Dr Jan Tack.
Fiz formação em coaching pela Nutrition Coaching (2015), com a nutricionista e coach pioneira no ramo do coaching na nutrição, Ísis Moreira (Instagram @lembretesdanutricionista).
Atualmente estou envolvida com a Formação em Transtornos Alimentares e Obesidade (compulsão, anorexia e bulimia), no renomado Instituto WP em Porto Alegre, referência em Terapia Cognitiva Comportamental.
Recebo para atendimento adolescentes, adultos e gestantes (não atendo mais crianças e bebês) que procuram mais qualidade de vida, emagrecimento saudável, e tratamento para algumas doenças crônicas, como obesidade, hipertensão arterial, cardiopatias, diabetes tipo 2 não insulino-dependente e, obviamente, tratamento para distúrbios gastrointestinais, como hipersensibilidades, alergias e intolerâncias alimentares, refluxo gastroesofágico, síndrome do intestino irritável, retocolite ulcerativa, doença de crohn, doença celíaca, etc. Não atendo atletas nem pessoas que desejem hipertrofiar, pois não tenho formação na área esportiva.
Espero que tenha gostado! Fique à vontade para navegar e volte sempre! Com amor.

Reeducação alimentar

Reeducação Alimentar (RA) é um termo muito comentado como sendo o “segredo” para emagrecer de forma sustentável, duradoura, eficiente e segura e para manter-se magro. É o segredo para ter uma vida mais saudável, livre de doenças e do efeito sanfona. A reeducação alimentar é um processo que acontece através da trocas inteligentes de alimentos da alimentação e da melhora do comportamento alimentar, agindo na mudança de alguns hábitos, mas sem deixar de fora o que faz parte da cultura do indivíduo. Na reeducação alimentar não há proibições, cortes de grupos alimentares, não há alimentos vilões e mocinhos, bons e maus e, sim, a maneira como se come.

Durante toda a nossa vida, principalmente na infância, aprendemos o que e como devemos comer com nossos pais e com as pessoas da nossa convivência. No entanto, nem sempre esse aprendizado acontece com alimentos e comportamentos alimentares saudáveis. Quando ficamos mais maduros ou nos deparamos com o excesso de peso ou  com alguma doença, tomamos consciência da importância da alimentação para uma vida melhor e podemos nos dar conta que não nos alimentamos de forma balanceada ou que não temos um relacionamento saudável com a comida.

É importante dar-se conta que aqueles hábitos eram de nossos pais, que foram passados para nós, que passamos a reproduzir, e que depois de maduros, temos a opção de escolha por uma alimentação mais saudável e um comportamento alimentar mais equilibrado. Aí é que entra a RA! É importante entender é que a reeducação alimentar não consiste em deixar de comer tudo o que gosta e passar a comer somente frutas, verduras, legumes e alimentos light. Muito pelo contrário, é aprender que você pode comer de tudo, mas sem exageros e de forma equilibrada. Tudo depende da frequência, da quantidade e da forma como comemos. Ou seja, compreender que não existe um alimento culpado e um salvador, e sim o nosso comportamento frente aos alimentos, para então aprender a encontrar o equilíbrio de comer de tudo com moderação, sem neuras, culpas, medos. Com prazer, mas sem gula.

Na reeducação alimentar também aprende-se a respeitar a fome e a saciedade, aprende-se a hora certa de parar de comer, como lidar ou evitar a culpa, aprende-se a reconhecer os pensamentos sabotadores e como se posicionar frente a eles, aprende-se a dizer não, a diferenciar fome e desejo, aprende-se a identificar quais são os gatilhos que disparam os seus desejos de comer e como mudar esses comportamentos automáticos.

Por toda essa parte comportamental que envolve a reeducação alimentar, o ideal é que o acompanhamento seja realizado com orientação de uma nutricionista que realmente trabalhe e conheça essa área, pois atualmente há muitos nutricionistas que dizem atender reeducação alimentar, mas prescrevem dietas restritivas, e a reeducação alimentar não é nada disso.

Na reeducação alimentar recebe-se um plano alimentar, o que é bem diferente de receber uma dieta. A dieta gera proibição, não leva em conta preferências, rotina, estilo de vida, aspectos culturais, por essa razão que é tão difícil mantê-la. Por ser tão restritiva gera resultado rápido, mas em seguida a dieta é abandonada e o indivíduo volta a se alimentar como antes. O fato é que, por não ter aprendido novos hábitos alimentares, e a maneira como se alimentava antes engorda, então nada mais previsível do que recuperar o peso na forma de gordura, e aí começa o efeito sanfona. O problema é que isso abala muito a auto estima, por que a pessoa, ao abandonar a dieta, se sente fracassada. Mas digo, não é ela a fracassada, o método é fracassado. Você conhece alguém que tenha conseguido manter uma dieta restritiva a longo prazo e que não tenha voltado a engordar nunca mais? Duvido. Já é comprovado que fazer dieta engorda. Aliás, se fazer dieta emagrecesse, já estaríamos todos magros, não é? Dietas por aí é que não faltam!

A resultado da reeducação alimentar, falando em quilos de emagrecimento, pode ser semelhante ao de uma dieta. Só que ainda melhor, por que é constante. É  constante por que é possível manter o plano alimentar, que não é sofrido, nem punitivo, é agradável! Mesmo que leve um pouco mais de tempo, qual o problema? Quando você estiver feliz por ter chegado no seu objetivo, não vai importar quantos meses a mais levou. Troque o imediatismo pela paciência. Lembre-se que com dieta restritiva você chega na metade do caminho, abandona, e depois tem que recomeçar. Isso toma tempo também. Há quanto tempo você já poderia estar no seu objetivo se tivesse topado seguir por um método que, por mais que não seja tão imediato, seja sustentável e mais gentil?

O mais incrível de tudo é que, com os novos aprendizados, consegue-se manter o peso conquistado depois e, por ser um emagrecimento mais saudável, a massa muscular se mantém e perde-se mais gordura corporal. Dessa forma, o metabolismo fica a todo vapor e sem a flacidez que a dieta e o efeito sanfona causam.
Vem comigo nessa aventura maravilhosa que é a reeducação alimentar e resgate a melhor versão de si mesmo!

Coaching para emagrecimento e saúde

Por que você não está conseguindo emagrecer ou ter mais saúde enquanto outras pessoas que você conhece conseguiram?
Todo indivíduo pode se tornar quem ele quiser através de seu potencial infinito, que, se usado plenamente, promove resultados extraordinários em todos os aspectos de sua vida, seja pessoal ou profissional. Mesmo com essa força realizadora inerente, a maioria das pessoas não consegue acessá-la, principalmente pela falta de autoconhecimento. Nesse sentido, entra em cena o profissional que tem como missão auxiliar estas pessoas a encontrarem a si mesmo, bem como suas potencialidades, para que despertem suas melhores versões – o Coach.
O Coach é o profissional especializado no processo de Coaching. Pode ser considerado um treinador que assessora o cliente (Coachee), levando-o a refletir, chegar a conclusões, definir ações e, principalmente, agir em direção a seus objetivos, metas e desejos.
A essência do Coaching está em fornecer suporte para que o indivíduo aprimore, se transforme e evolua. Assim como, auxilia-o a seguir na direção certa para seu estado desejado. O processo de Coaching cria consciência, potencializa a escolha e leva à mudança.
O Coach não precisa ser um especialista na área de atuação de seu cliente. Um profissional de Coaching deve ter primeiramente, uma formação de capacitação que contenha carga horária mínima de 80 horas, além de reconhecimento e certificação de credibilidade.
O processo de Coaching é realizado em sessões (encontros/reuniões) sejam elas, semanais, quinzenais ou mensais. O profissional aplica técnicas, ferramentas e perguntas poderosas para mobilizar seu cliente (Coachee) a entrar em ação para atingir suas metas e acelerar os resultados. O objetivo é maximizar a performance do indivíduo como um todo, na vida pessoal e profissional.
Nichos de atuação do coach profissional:
Cada pessoa sente necessidade de mudança em um campo específico de sua vida, seja por algum problema existente ou simplesmente pelo desejo de ter melhores resultados no aspecto em questão.
Para atender de maneira precisa e efetiva cada perfil de Coachee e suas prioridades, existem diversos tipos de processos de Coaching, em que o Coach (profissional) pode se tornar especialista. Geralmente, o Coach opta em atuar no nicho em que possui maior afinidade, motivação, e principalmente, domínio técnico e prático em determinado assunto.
Veja abaixo alguns exemplos de modalidades de Coaching. Podemos dividir em 2 grandes esferas – Coaching Pessoal e Business Coaching. Confira:
Entre as especialidades do coach pessoal estão:

  • Coach de Relacionamentos;
  • Coach de Inteligência Emocional;
  • Coach Financeiro;
  • Coach Espiritual;
  • Coach de Emagrecimento ou nutricionista coach;
  • Coach Esportivo.

Entre as especialidades do business coaching estão:

  • Coach Corporativo;
  • Coach de Performance;
  • Coach de Carreira;
  • Coach de Equipes;
  • Coach de Liderança;
  • Coach de Vendas.

O coaching no emagrecimento é muito eficiente. A abordagem utilizada faz o indivíduo pensar e criar soluções para os obstáculos, trabalha crenças limitantes (você tem pensamentos do tipo: “eu não sou capaz”, “eu não tenho jeito”, “eu não consigo”, “é muito difícil”?), a motivação, a atitude. Coaching não é terapia. O nosso passado é importante, mas não nos ajuda a evoluir. O que aconteceu no passado explica a sua situação atual, mas não vai mudar o seu futuro. O que vai mudá-lo é o que você está fazendo hoje em prol do futuro que você deseja para si. O coaching trabalha o presente.
Como você deseja estar daqui 2 anos, 5 anos? O que você tem feito hoje para alcançar o que deseja? Até quando você quer que a situação atual dure?
Então, repito: por que você não está conseguindo o que quer se outras pessoas conseguem?
Vem comigo nessa experiência transformadora que é emagrecer com auxílio de um coach e sinta-se no controle da sua vida!

E se você está achando que coaching é modinha, ou charlatanismo, talvez seja por que você ainda não conhece bem o coaching. O coaching veio para ficar e todo o profissional que lida com mudança de comportamento, inclusive médicos, deveriam ter formação em coaching. Assim os pacientes iriam aderir muito mais aos tratamentos!
Fonte: http://www.ibccoaching.com.br/tudo-sobre-coaching/coaching/o-que-e-e-o-que-faz-um-coach/

Nutrição Funcional

Nutrição Funcional é uma área da nutrição especializada em trabalhar com os alimentos funcionais (aqueles que além de nutrir, previnem ou auxiliam o tratamento de doenças) e dedica-se à prevenção, à avaliação precoce e ao manejo otimizado das doenças, corrigindo ou amenizando os desequilíbrios clínicos. A Medicina Funcional, apesar de ser muito recente no Brasil (desde 2003), é comum nos Estados Unidos, Canadá e Europa.
A Nutrição Funcional trata e previne de maneira dinâmica desordens crônicas complexas através da detecção e correção dos desequilíbrios que geram as doenças. Estes desequilíbrios ocorrem devido a inadequação da qualidade da nossa alimentação, do ar que respiramos, da água que bebemos, dos exercícios (a mais ou a menos) e alterações emocionais que passamos.
Estas “inadequações” são consideradas de acordo com a individualidade genética que ocorre em cada um de nós. Vamos a alguns exemplos: enquanto um indivíduo é alérgico a camarão o outro não é. Enquanto para um o café pode gerar dor de cabeça e insônia, para outro não. Enquanto um necessita de mais zinco (ex: 25mg) para produzir ácido suficiente em seu estômago, o outro precisa de menos (ex.: 10mg). Enquanto um precisa de mais ômega 3 para manter os triglicerídeos e o HDL em níveis adequados, o outro precisa de menos.
Da mesma forma que os dados e comandos que colocamos em um computador determinarão o funcionamento desta máquina, as informações que colocamos em nosso organismo, determinarão o seu funcionamento. Os nutrientes (sejam bons ou ruins, equilibrados ou desequilibrados), toxinas, hormônios e neurotransmissores são as “informações” que colocamos em nosso corpo diariamente. Caso você não goste de como sua máquina está funcionando, mude as informações que oferece a ela! Melhor ainda, “contrate” um programador, o nutricionista funcional, para lhe ajudar nesta tarefa!
A Nutrição Funcional considera a interação entre todos os sistemas do corpo, incluindo as relações que existem entre o funcionamento físico e aspectos emocionais.
A Nutrição Funcional possui 5 princípios básicos:

  1. Individualidade bioquímica: Desde pequena(o), você não ouviu sempre dizer que em todo o planeta não há ninguém igual a você? Pois é, todo mundo sabe disso. No entanto, na hora de nos olharmos “por dentro”, em nossa saúde, os profissionais nos tratam como se fossemos todos quase iguais! A interação de nossa genética única, de nossa alimentação e de elementos ambientais (toxinas, poluentes, estresse mental, atividade física) irão “modular” nossos genes determinando quais “falarão mais alto”, ou quais ficarão “calados”. O que todos desejamos, é “calar” os genes associados a doenças, e “deixar falar” os genes associados à saúde! Este princípio irá nortear a terapia nutricional, que deverá sempre levar em consideração as necessidades individuais, bem como sinais e sintomas apresentados por você. Não podemos esquecer que grande parte da expressão de nossos genes depende do meio ambiente. Assim, podemos apresentar necessidades e carências de acordo com o ambiente em que estamos.
  2. Tratamento centrado no paciente: O tratamento é direcionado ao paciente e não a doença, ao oposto da medicina tradicional. Torna-se mais importante saber que paciente tem a doença do que saber que doença o paciente tem. O indivíduo é abordado como um todo, um conjunto de sistemas que se inter-relacionam e que sofrem influências de fatores ambientais, emocionais, alimentares, historia individual de patologias e uso de medicamentos, hábitos de vida e atividade física, por exemplo.
  3. Equilíbrio nutricional e biodisponibilidade de nutrientes: Se torna importante a oferta de nutrientes em quantidades adequadas e em equilíbrio com todos os outros, para que haja otimização da sua absorção e aproveitamento pelas células.
  4. Interrelações em teia de fatores fisiológicos: todas as funções de nosso corpo estão interligadas. A teia da Nutrição Funcional considera a interrelação mútua de todos os processos bioquímicos internos, de forma que um influencia o outro, gerando desordens que abrangem os diversos sistemas. Hoje sabemos, por exemplo, que disfunções imunológicas podem promover doenças cardiovasculares, que desequilíbrios nutricionais provocam desequilíbrios hormonais e que exposições ambientais podem precipitar síndromes neurológicas como a doença de Parkinson. A teia conduz a organização do raciocínio na busca da compreensão dos desequilíbrios que estão nas bases funcionais do desenvolvimento das condições clinicas (i.e. doenças), corrigindo a causa, ao invés de apenas os sintomas genéricos.
  5. Saúde como vitalidade positiva: a saúde não é meramente a ausência de doenças, e sim o resultado de diversas relações entre os sistemas orgânicos, por isso devemos analisar os sinais e sintomas físicos, mentais e emocionais que podem estar nas bases dos problemas apresentados.

Fonte: Texto traduzido pelo Nutricionista Funcional Gabriel de Carvalho, a partir do site http://www.functionalmedicine.org. Gabriel de Carvalho foi meu professor; é membro fundador e presidente (2004-2006; 2006-2008) do Centro Brasileiro de Nutrição Funcional (www.cbnf.com.br) e professor e organizador, junto com a Nutricionista Funcional Valéria Paschoal, do curso de Pós Graduação em Nutrição Clínica Funcional (WWW.vponline.com.br) onde fiz minha especialização.

Nutricionista com Consultorio em Porto Alegre e São Leopoldo

Atendo em dois consultórios próprios, sendo um em Porto Alegre e outro em São Leopoldo.
Para conhecer imagens dos consultórios acess o “Consultório em Porto Alegre” ou o “Consultório em São Leopoldo“.