Dispepsia funcional reduz a qualidade de vida relacionada à saúde em população sul-brasileira

Dissertação de mestrado. Artigo 2.

LAUFFER A, MAZZOLENI L E, SANDER G, KATZ N, FOLADOR L, RENCK L B, FRANCESCONI C F. Dispepsia funcional reduz a qualidade de vida relacionada à saúde em população sul-brasileira. III Simpósio Sul-brasileiro do Aparelho Digestivo. Bento Gonçalves, out, 2009.

Dispepsia funcional (DF) é uma condição crônica comum, que pode acarretar um maior impacto na qualidade de vida e gera uma grande sobrecarga aos recursos de saúde. Não existem estudos sobre qualidade de vida (QDV) relacionada à saúde em pacientes com DF no Brasil. O Roma III recomenda que sejam realizados estudos trans-culturais sobre QDV relacionada à saúde em distúrbios funcionais em diferentes países. Objetivo: Avaliar a QDV relacionada à saúde de pacientes brasileiros com DF. Metodologia: Estudo transversal com 58 dispépticos funcionais diagnosticados pelo Critério de Roma III foram incluídos. Indivíduos saudáveis oriundos de banco de sangue de uma população brasileira foram pareados e utilizados como grupo controle (GC). Ambos os grupos responderam à versão portuguesa validada do questionário SF-36. Este instrumento avalia a QDV relacionada à saúde abordando seus oito conceitos: capacidade funcional (CF), aspectos físicos (AF), dor física (DF), estado geral de saúde (SG), vitalidade (VT), limitações sociais (LS), limitações emocionais (LE) e aspectos mentais (AM). Análise estatística: teste T de student foi utilizado. Cálculo do tamanho da amostra: 58 pacientes e 58 controles. O estudo e o Termo de Consentimento foram aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição envolvida.
Resultados: A amostra foi homogênea para idade (46.7 ± 13.6 e 49.2 ± 12.9 anos para DF e GC, respectivamente) e sexo (55% e 50% eram mulheres nos grupos de DF e GC, respectivamente). Houve diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos em todos os domínios do questionário, sendo que p=0,022 em CF e p<0,001 nos demais domínios do questionário (AF, DF, SG, VT, LS, LE e AM). Conclusão: Este primeiro estudo brasileiro demonstra que a DF, usando o questionário SF-36, tem um impacto negativo em todos os domínios da QDV relacionada à saúde.