Quem já entrou no círculo vicioso de começar uma “dieta”, desistir, comer descontroladamente, iniciar novamente uma nova “dieta” e assim sucessivamente num efeito sanfona, pode começar sentir muita dificuldade para emagrecer e a pensar que nunca conseguirá emagrecer.

O que nos leva a sentir dificuldade para emagrecer

Duvidar de si mesmo, nestes casos, é bastante comum, mas pode ter se tornado uma crença limitante. Começam a vir na mente pensamentos como: “Vou comer, afinal, nunca conseguirei emagrecer”, “Isto não vai durar”, entre outros. Por ter tido experiências negativas no passado, você pode achar que desta vez não será diferente. Na verdade, por ter sempre feito “dieta” e nunca ter trabalhado de fato o seu comportamento alimentar e a sua relação com a comida, não há outro caminho senão voltar a engordar depois de abandonar a “dieta”. E isso pode ter contribuído para que você se sentisse incapaz de emagrecer.

No entanto, com a reeducação alimentar (RA) e a nutrição comportamental é diferente! A reeducação alimentar usa técnicas diferentes: trabalha a sua mente, a relação com a comida e o comportamento alimentar. Você não estará simplesmente fazendo uma “dieta”. Assim, os progressos que você conquista não serão “acasos dos destino”, temporários ou “farsas”, e sim fruto do seu trabalho para mudanças de comportamentos, que são muito mais profundas, duradouras e eficazes do que fazer uma “dieta”. E, por isso, você deve acreditar em si mesmo por que talvez você nunca tenha tentado dessa forma.

Como recuperar a autoconfiança para emagrecer

Para manter-se autoconfiante durante o emagrecimento, lembre-se de como você agia em relação à comida antes da RA. Você comia exageradamente? Com pressa? Por razões emocionais ou impulso? E atualmente, com que frequência você faz estas coisas?

Pense também – e principalmente – nas mudanças do seu comportamento. Com que frequência você se enganava? Você frequentemente tinha pensamentos como “Já saí do meu plano mesmo, vou continuar comendo”, ou “Só hoje não vai fazer diferença”?

Certamente você ainda tem muitos pensamentos como este. Afinal, pensamentos são involuntários, não os controlamos. O que se controla é o que fazemos a respeito deles. De qualquer forma, um pensamento é apenas um pensamento, e você não é necessariamente os seus pensamentos.

Você pode sim “escolher” os pensamentos que vai dar atenção, aqueles que estão alinhados com os teus objetivos. Então, o mais importante é a maneira como lidamos com os pensamentos. Você costumava se “render” a eles com facilidade? E hoje? Consegue “escolher” não seguir pelo pensamento sabotador e distorcido?

Lembre-se sempre que os resultados que você alcançou até o momento são frutos dos seus esforços e é natural sentir-se desanimado algumas vezes, mas você precisa sempre acreditar em si mesmo. Afinal, quem atingiu suas metas até aqui foi você mesmo!

Recordar, reviver, e manter vivas as lembranças de todas essas evoluções é muito importante para se manter autoconfiante! É muito eficaz escrever os progressos que já fez e o quanto você já mudou até aqui. Você poderá relê-los sempre que achar necessário. Acredite em você! Você é capaz de perder peso e poderá progredir cada vez mais. Não subestime a sua capacidade!

Desconfie do destino – acredite em você!

No curso de emagrecimento Emagreça Motivado esse é um aspecto amplamente trabalhado, visto que em cada aula o participante é estimulado a lembrar de suas capacidades e a se conduzir no emagrecimento de forma assertiva, a fim de gerar autoconfiança e motivação. Conheça esse programa de emagrecimento e encontre mais motivação para emagrecer.

Nutrição comportamental e relação com a comida: a melhor “dieta” para emagrecer!