Você já pensou em consultar um nutricionista? Provavelmente sim, pois a maioria das pessoas gostaria de algumas orientações em relação à sua alimentação. Porém, a escolha do seu nutricionista deve ser bem pensada porque isso está relacionado ao seu objetivo, e atualmente existem diversas especialidades de nutricionistas.

Porque é importante ter o seu nutricionista

Todas as pessoas podem ou deveriam procurar o acompanhamento de um nutricionista, afinal, comemos várias vezes por dia, todos os dias da nossa vida até o último dia de nossa vida. Então, comer bem realmente é algo importante, e de uma forma ou de outra, a alimentação impacta na nossa vida, isso é certo! Sem os nutrientes necessários e nas quantidades certas o nosso corpo não funciona direito. E, ainda, a nossa alimentação está cada vez mais cheia de produtos químicos e estamos desenvolvendo cada vez mais doenças.

Então, seja para emagrecer, para prevenir ou tratar um problema de saúde, para ter mais qualidade de vida ou vigor, não importa: ter o seu nutricionista hoje em dia é como ter aquele seu médico ou dentista no qual você confia e consulta regularmente. E a escolha do seu nutricionista deve estar alinhada com os seus objetivos e ser alguém que você gosta e confia, assim como o seu médico ginecologista, dentista, pediatra do filho, etc.

O que o nutricionista faz

O nutricionista pode lhe acompanhar e orientar nos aspectos nutricionais de diversas doenças, como:

  • Obesidade;
  • Comportamento alimentar;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Hipertensão;
  • Distúrbios do trato digestório;
  • Oncologia;
  • Esporte;
  • Entre muitos outros.

O ideal é que o paciente venha com diagnóstico médico do seu problema de saúde e já com o tratamento dado pelo médico (se for o caso), para que o nutricionista oriente a parte que cabe a ele, que é a alimentação.

A melhora da alimentação e do comportamento alimentar sempre contribuem muito juntamente ao tratamento médico para a boa evolução da saúde do paciente, embora essa parceria ainda hoje em dia não esteja tão fortalecida. Por isso, cabe ao paciente procurar orientação nutricional mesmo quando o médico não sugere.

Obviamente, mesmo que você não tenha nenhum problema de saúde você pode visitar o nutricionista anualmente para:

  • Fazer exames de sangue mais completos, com vitaminas e minerais incluídos;
  • Checar se o seu estado nutricional está adequado;
  • Revisar a qualidade da sua alimentação.

Como escolher o nutricionista

Buscar um profissional que trabalhe com reeducação alimentar e mudança de comportamento alimentar é o ideal. Isso porque a abordagem na nutrição comportamental é uma abordagem diferente de outras linhas de profissionais que trabalham com dietas. As dietas são impossíveis de serem sustentadas a longo prazo, criam fortes restrições e muita ansiedade no paciente, o que impede a evolução do paciente.

Infelizmente, é essa a visão que muitas pessoas têm de nutricionistas devido a experiências desagradáveis que tiveram: de que os nutricionistas cortam tudo o que gostamos de comer, que fazem a gente passar fome, etc. De fato, alguns profissionais nutricionistas têm uma postura muito rígida e terrorista. Os pacientes, com razão, acabam não fazendo acompanhamento por este motivo.

Claro que, se você tem algum problema de saúde, algumas restrições de alimentos podem ser necessárias. Mas, se você tem boa saúde, se os exames estão em dia e o seu desejo é melhorar o peso, o cansaço, disposição ou a qualidade de vida, a reeducação alimentar e a nutrição comportamental são as melhores saídas. 

Portanto, é sempre importante pesquisar as linhas de atuação, as especialidades, olhar o currículo e a formação para fazer a escolha do seu profissional ideal. Tenha em mente que isso é muito pessoal: o profissional ideal para um pode não o ser mesmo da sua melhor amiga ou da sua mãe, portanto, analise a escolha com atenção.

É muito comum um paciente com comer transtornado ir a um nutricionista esportivo e perceber seu comportamento alimentar piorar pela postura rígida típica desse profissional, ou um paciente com síndrome do intestino irritável ir a um nutricionista que não conhece a patologia, não considerá-la no tratamento e o paciente piorar dos sintomas. Por isso, preste atenção no momento da escolha do seu nutricionista.

Não faça dieta, mude o seu comportamento em relação à alimentação. Essa é a minha bandeira! Você gostaria de melhorar a sua alimentação? Veja  como começar uma reeducação alimentar.