Vitamina D: mais importante do que você imagina

Você sabia que a vitamina D é muito mais que uma vitamina? Ela tem funções hormonais no nosso organismo, fortalece os ossos, protege o coração, contribui para a força muscular, auxilia na perda de peso (como coadjuvante no processo) e até auxilia na prevenção de diversos tipos de cânceres?

O melhor de tudo é que, na maioria dos casos, ela pode ser obtida apenas de forma natural e gratuita através do sol!

Especialistas recomendam de 15 a 20 minutos de sol ao dia, com a maior parte possível do corpo exposta e sem aplicação de filtro solar. Desta forma, é possível atingir as 10.000 unidades internacionais (UI) de vitamina D (quantidade necessária e ideal por dia). 

Importante:

Para produzir a vitamina através do contato do sol na pele, é preciso estar diretamente exposto a ele. Janelas e vidros impedem essa absorção. Portanto, o sol que você toma enquanto está no trânsito, se deslocando a pé, ou dentro de casa, não é suficiente (ou válido) para obter a vitamina através dos raios solares. 😉

Relação entre vitamina D e perda de peso:

A vitamina D está envolvida na produção da insulina. Portanto, quando há carência, reduzem-se os receptores para insulina nas células. Com isso, o pâncreas tem que produzir mais insulina, o que prejudica o processamento do açúcar e aumenta o acúmulo de gordura e de substâncias inflamatórias que estimulam o apetite.

Fonte: Nutricionista Fernanda Granja.

Vitamina D nos alimentos:

Podemos encontrar também vitamina D nos alimentos como salmão, atum, ovo, cogumelos e carne bovina. Porém, estes não possuem a quantidade de que o organismo precisa. Por exemplo, 100 gramas de salmão representam apenas 6,85% das necessidades diárias.

Suplementação com vitamina D:

Caso seus exames pré requisitados por um médico apontem a deficiência da vitamina no organismo e você não consiga se comprometer em tomar sol todos os dias, esta pode ser a solução. A forma mais comum é através de gotas, e cada uma contém 200 UI.

A necessidade de suplementação com vitamina D é ainda maior idosos, porque estes produzem quantidade menor da substância por questões metabólicas da idade. “A quantidade da vitamina produzida em uma pessoa de 70 anos é, em média, um quarto da que é sintetizada por um jovem de 20 anos”, segundo a nutricionista Rúbia Gomes Maciel. Portanto, a partir dos 60 anos a suplementação pode ser uma necessidade, mesmo tomando sol.

O consumo da vitamina D é essencial para as gestantes, sendo que a falta dela pode levar a abortos no primeiro trimestre. Já no final da gravidez, a carência do nutriente pode levar a pré-eclâmpsia e aumentar as chances da criança ser autista.

Importante:

O excesso de vitamina D também traz riscos à saúde. No entanto, a intoxicação pela vitamina só ocorre com o excesso de suplementação. Isso por que os alimentos contém quantidades muito pequenas da vitamina e a obtenção dela por meio dos raios solares é regulada pela pele, que cessa a produção de vitamina quando atinge os valores necessários.

Segundo o neurologista Cícero Galli Coimbra, com o excesso “há a possibilidade de ocorrer a elevação da concentração de cálcio no sangue e isso pode provocar a calcificação de vários tecidos, sendo que o mais afetado é o rim, que chega até mesmo a perder sua função”.

Repor a vitamina D é extremamente importante! Seja qual for a sua faixa etária, solicite sempre ao seu médico esse exame e procure manter níveis acima sempre acima do valor de referência desejado! Cuide do seu corpo!