Saiba como prevenir a diverticulite

Os principais sintomas da diverticulite são dores no baixo ventre à esquerda, diarreia, sangue nas fezes, febre, náuseas e vômitos. Em casos graves, pode haver a formação de fístulas ou rompimento de um divertículo, que permitirá o vazamento de fezes para a cavidade abdominal, causando a peritonite e risco de morte por infecção generalizada. A pessoa que tem diagnóstico de diverticulose (diverticulite é o nome da crise, quando um divertículo inflama), deve cuidar muito bem da sua saúde intestinal, prevenindo a constipação. História de constipação é, inclusive, um dos fatores que leva ao desenvolvimento de diverticulose.

As dicas para evitar crises de diverticulite são as seguintes (não para períodos de crise):

  • Mastigar bem os alimentos;
  • Evitar o consumo de alimentos gordurosos (carnes gordas, cremes de leite, molhos, queijos, embutidos, frituras, etc) e muito ricos em açúcares (como sobremesas e doces concentrados);
  • Evitar alimentos que geram flatulência (brócolis, couve-flor, cebola, feijões, pepino, repolho, pimentão);
  • Ingerir fibras, em torno de 30g ao dia. Fibras solúveis (frutas e verduras) e insolúveis (pão integral, arroz integral, leguminosas, farelos e verduras);
  • Dar preferência aos vegetais crus, que são mais ricos em fibras do que os cozidos. Durante episódios de diveticulite dar preferência aos cozidos;
  • Usar fibras como aveia, farelo de arroz, fibra de trigo, farelo de linhaça, etc, diariamente. Observe se o glúten te causa constipação e /ou dores abdominais;
  • Beber bastante água: calcular 35 ml por Kg de peso corporal, para hidratar as fezes e auxiliar o deslizamento delas dentro do intestino;
  • Tomar suco verde: suco de meio limão + 1 pedaço de couve verde do tamanho de uma mão aberta + 200 ml de água + 1 colher de sopa de aveia = liquidificar e beber 1 copo ao dia. É um suco rico em fibras, que estimula o funcionamento intestinal, além de ser rico em magnésio e cálcio de boa absorção;
  • Usar diariamente suplemento probiótico, para melhorar a função intestinal e evitar a colonização de bactérias patogênicas no intestino, que podem levar à inflamação dos divertículos, junto com o acúmulo de restos alimentares ou de fezes, visto que a constipação é comum nesses pacientes;
  • Sobre as sementes, já sabe-se que não tem necessidade de evitá-las. Muito mais importante é evitar a constipação através do consumo de fibras e manter uma microbiota saudável. Caso o seu médico tenha te orientado a retirar sementes e grãos e a sua alimentação tenha ficado muito restrita, convide-o a checar pesquisas dos últimos 10 anos no maior site de pesquisas científicas, chamado Pubmed. Lá serão encontrados facilmente estudos publicados em revistas de alto rigor científico.
  • Manter o peso próximo do ideal.

Nutrição e gastroenterologia: uma união muito importante!