Resista a quem insiste para você comer: aprenda a dizer “NÃO, obrigado!”

Muitas pessoas dizem “eu tive que comer” para não magoar os sentimentos de alguém, mesmo sabendo que isso significava se desviar do plano alimentar. Todos acreditam que uma recusa educada ofende as pessoas. Se você tem comportamento semelhante, duas coisas podem estar acontecendo: a primeira é que a vontade das outras pessoas que querem que você coma o que estão te oferecendo é mais importante do que a sua vontade de emagrecer. A segunda é que parece errado cuidar de você mesmo (pelo menos no que diz respeito à comida), principalmente se isso significa decepcionar alguém.

Nesse caso, é importante você pensar sobre duas coisas:
1) você tem todo o direito de trabalhar em sua meta de emagrecer desde que não esteja, propositalmente, tentando fazer alguém se sentir mal e,
2) não há nada demais em decepcionar os outros. A decepção faz parte da vida. A decepção deles provavelmente será leve e efêmera.

Este hábito das pessoas nos receberem com algo para comer é, na realidade, antropológico, e vem da comensalidade, que significa “companhia à mesa”. Quando te oferecem comida, estão também te oferecendo, na verdade, a amizade. Por isso temos essa sensação de que ferimos o sentimento da pessoa quando recusamos o que nos oferecem para comer, mas, na realidade, elas não ficam ressentidas, ou, na pior das hipóteses, têm uma reação amena. Se você imagina que os outros ficarão decepcionados, pergunte a si mesmo o seguinte:
1) não ficarei decepcionado se aceitar comida e sair do meu plano alimentar?
2) por que acho mais importante agradá-los do que fazer o que é melhor para mim?

Reflita: se você fosse vegetariano, comeria carne só para não decepcionar alguém? Se você estivesse seguindo uma dieta especial por restrição médica, burlaria a dieta só para poupar o sentimento de alguém?

Com certeza, quando você burla a dieta por causa de alguém, você se sente arrependido por muito mais tempo do que o tempo que a pessoa ficaria chateada. Você tem o direito de fazer o que é certo para você, desde que esteja sendo educado, porém firme, se for preciso. As pessoas que o colocam em uma situação difícil é que não estão sendo razoáveis, e não você por estar negando comida.

Prepare-se para dizer “não” na próxima vez que lhe oferecerem comida. Reflita: quais são os custos para você, caso aceite? Isso poderia levá-lo a: sair do planejamento alimentar, comer mais do que você realmente quer, sentir-se subserviente, sentir-se fora de controle, parar de emagrecer ou até engordar, comer exageradamente ou provocar um desejo incontrolável, sentir-se mal consigo mesmo (arrependimento, raiva, tristeza, culpa, desânimo, auto-confiança em emagrecer minada). Qualquer pessoa razoável terá não mais do que apenas uma reação negativa amena e temporária quando você disser “não”.

Planeje com antecedência uma maneira de agir para dizer não da próxima vez. Para muitas pessoas é suficiente dizer “não, obrigado” ou “parece delicioso, mas, não, obrigado”. Você não precisa dizer que está fazendo dieta. Pense no que esta pessoa responderá em seguida e planeje a próxima resposta. Imagine você se sentindo orgulhoso de si mesmo por estar sendo assertivamente educado sobre suas prioridades. Com o tempo, isso se tornará cada vez mais fácil e natural por que você vai constatar que nada de horrível acontece. Se a pessoa for muito insistente e disser que ficará magoada se você não comer, responda: “eu não estou recusando para magoar você, eu apenas não quero comer nada neste momento”.

Quando você acreditar firmemente que tem o direito de falar não aos que insistem para que você coma, emagrecer e se manter magro será mais fácil!

Esse texto foi escrito baseado no meu método de atendimento para emagrecimento: coaching e abordagem cognitivo comportamental para reeducação alimentar.