Vamos falar sobre panelas?!

No dia-a-dia nem nos damos conta sobre a importância do tipo de panela na qual cozinhamos!
A panela vai contribuir para o sabor, odor e cor dos alimentos, e a maneira como as utilizamos ou as conservamos (limpeza, por exemplo) pode afetar a nossa saúde. E é engraçado que não se fale tanto nisso, afinal, prezamos tanto o alimento e, conforme a panela  e a maneira como a utilizamos, podemos estar contaminando nossos alimentos e nos causando problemas de saúde. São tantos tipos de panelas que até o profissional fica confuso sobre qual indicar. Não existe panela perfeita; cada uma tem seus prós e contras. Olha só:

Panela de alumínio:
Apesar do baixo custo, pode alterar a cor e sabor dos alimentos, e há muita discussão por que alimentos cozidos nessas panelas absorveriam maiores quantidades de metais tóxicos, podendo causar distúrbios pulmonares, processos inflamatórios e talvez até mal de Alzheimer. Apesar disso, a panela de alumínio é considerada segura para uso pela OMS. Para minimizar esse efeito negativo, seria importante não limpá-la com palha de aço e evitar raspar utensílios que risquem a panela.

Panela de inox:
O metal tóxico níquel se desprende da panela com o uso. A exposição prolongada a níquel pode causar alergias e câncer. A vantagem é que essas panelas não oxidam com facilidade, o calor é distribuído de maneira uniforme na superfície, resiste a variações bruscas de temperatura e é resistente. Para evitar liberação de níquel, lave com esponja macia, não use palha de aço.

Panela antiaderente:
É o tipo mais controverso. O ácido perfluoro-octanóico e o politetraflupretileno são altamente tóxicos e estão presentes na composição dessas panelas. Podem levar a distúrbios de tireóide, câncer de fígado, renal, problemas cardíacos e são potentes obesogênicos (podem contribuir para obesidade). Como esse material risca com facilidade, não se deve usar utensílios rígidos e nem lavar com palha de aço. Se houver riscos na panela ou o material antiaderente estiver se desprendendo, descarte imediatamente as panelas. A vantagem é que por ser antiaderente, consegue se utilizar menos óleo para cozinhar. Cozinhe em fogo baixo, pois em altas temperaturas por tempo prolongado os materiais tóxicos se desprendem.

Panelas de cobre:
São boas condutoras de calor e retêm o calor por mais tempo. Não são indicadas para cozinhar todos os tipos de alimentos, pois em contato com alimentos ácidos, por exemplo, liberam cobre, que é tóxico e pode causar distúrbios gastrointestinais, dores abdominais, náuseas e em longo prazo causam problemas hepáticos e renais.

Panelas de ferro:
Estudos mostram que o ferro contido nessas panelas pode auxiliar no tratamento da anemia. Mas vale lembrar que o excesso desse mineral é tóxico e pode causar problemas digestivos. Por isso, não se deve deixar alimentos armazenados nessas panelas. O grande problema é que ela enferruja com facilidade, e a ferrugem é altamente prejudicial à saúde. Para isso, indica-se higienizá-las com água e sabão, secá-las no fogo e finalizar com uma película de óleo de cozinha.

Panelas de cerâmica:
É excelente para conservar o calor, de fácil limpeza e antiaderente, mas demora muito para esquentar. As panelas que não possuem certificação de órgãos competentes podem apresentar cádmio e chumbo, dois metais tóxicos que podem causar diversos distúrbios à saúde. Por isso, se for comprá-las verifique se existe certificação de que as tintas utilizadas no revestimento da panela são atóxicas.

Panelas de barro:
Conservam bem o calor e demoram para aquecer. Por ser porosa, leva ao acúmulo de resíduos de alimentos, levando a desenvolvimento de microorganismos. Por isso, o cuidado no momento de higienizar é essencial, utilizando esponja, sabão e água, esfregar com cautela, secar em fogo para evitar a proliferação de bactérias.

Panelas de vidro:
É a mais indicada como sendo segura para a nossa saúde, pois não libera resíduos nos alimentos. Mas, é difícil de encontrar para comprar e são caras. Cozinhar nessas panelas requer cautela, pois aquecem com facilidade podem queimar o alimento. São de fácil limpeza, mas são pesadas e frágeis, pelo risco de quebrar.

Panelas de pedra-sabão:
Assim como as de barro, são porosas. Alguns estudos apontam a presença de níquel nessas panelas. Ideal para ensopados, não indicada para frituras.

Panelas esmaltadas:
É revestida por uma camada de substância esmaltada especial, e este pode conter chumbo, cádmio e outros elementos tóxicos, que podem causar intoxicação, afetar sistema respiratório, digestivo, nervoso e circulatório. Não se aconselha o uso dessas panelas se fabricadas antes de 1980, por conter quantidades altas de chumbo. São indicadas para cozinhar alimentos líquidos, frituras não devem ser feitas, pois altas temperaturas favorecem liberação de substâncias tóxicas. Devem ser higienizadas com água, sabão e esponja macia.

Para finalizar, não guarde restos de alimentos nas panelas, guarde em recipientes de vidro com tampa. Não há panelas proibidas. Quando for comprar suas panelas considere a funcionalidade, a praticidade, a sua saúde (pessoa com ferro alto – hemocromatose – não deveria usar panela de ferro), estilo de vida (vegetarianos poderiam usar panela de ferro). Siga as orientações de uso das suas panelas!
Fonte: Revista Nutrir+ by Nutricionistas.

By | 2017-03-01T12:14:10+00:00 25/10/2016|Categories: Alimentação, Bem Estar, Nutrição e Saúde|Tags: , , , |