Orientações dietéticas para anemia ferropriva (por carência de ferro)

Pode ocorrer por: alimentação inadequada, absorção inadequada por diarreia, uso de medicamentos, necessidades aumentadas, como na adolescência, gestação, etc, excreção aumentada de sangue, como fluxo intenso de menstruação, entre outras causas. Quando a hemoglobina mostra-se baixa, significa que o seu estoque de ferro está depletado há muito tempo. Mede-se o estoque de ferro através da ferritina no sangue.

Sinais: baixa resistência a exercícios físicos, fadiga, inapetência, anormalidade no crescimento de crianças, pálpebras descoradas, mucosas hipocoradas, unhas em forma de colher, atrofia das papilas linguais, glossite, estomatite angular.

Existem substâncias em certos alimentos que dificultam a absorção do ferro e, por isso, devem ser consumidos com uma fonte de vitamina C. Evite o consumo destes alimentos junto com refeições ricas em ferro ou quando ingerir o suplemento.

Alimentos ricos em oxalatos: abobrinha, aipo, agrião, aspargo, ameixas, amendoim torrado, batata-doce, berinjela, beterraba, couve, café, cacau, chocolate, chá preto, escarola, espinafre cozido, figo, feijão, framboesa, jabuticaba, morango, nozes, pimentão verde, quiabo, salsa, tomate.

Alimentos ricos em fitatos: alimentos integrais.

PREFERIR:
A terapia medicamentosa para reposição de ferro, de preferência ferro quelado a sulfato ferroso, pois o quelado tem absorção melhor e dá menos desconfortos, como dor abdominal, constipação, etc.
O ferro é mais bem absorvido com estômago vazio. Podem ocorrer reações como: náuseas, constipação intestinal, diarreia, azia, distensão abdominal, especialmente com uso de sulfato ferroso.
Mantenha a terapia de reposição de ferro por vários meses, mesmo com níveis adequados de hemoglobina, permitindo completa repleção dos estoques orgânicos de ferro. O ideal é fazer exame de ferritina para avaliar se o seu estoque de ferro normalizou. Uma ferritina boa deve estar entre 50-100mg/dl.

ALIMENTOS RICOS EM FERRO:

De origem animal:
Fígado bovino e de galinha, carne bovina, coração de galinha, carne suína e pescados.
Esses alimentos contêm o “ferro heme”, que é mais bem absorvido, mesmo sem ajuda da vitamina C.

De origem vegetal:
Feijão, lentilha, beterraba, espinafre, acelga, ervilha, couve-manteiga, brócolis, moranga, salsa.
São alimentos que contêm o “ferro não heme”, que é pobremente absorvido pelo organismo, e necessita ajuda da vitamina C.

Fontes de vitamina C: laranja, limão, kiwi, maracujá, tomate, couve-flor, pimentão, morango, abacaxi, bergamota, repolho, abóbora, acerola, goiaba.

Portanto, sempre que consumir esses alimentos inclua na refeição suco de frutas cítricas ou a própria fruta de sobremesa.