Falta de apetite infantil

A falta de apetite, também chamada pelos especialistas de anorexia, é a falta de vontade de comer todos ou certos tipos de alimentos. Representa a ausência do desejo de se alimentar. Obviamente, esta insuficiência alimentar há de ser espontânea e por decisão da criança, isto é, ela fica satisfeita antes de ter ingerido a quantidade necessária para o seu desenvolvimento.

No entanto, há dois tipos de anorexia (falta de apetite). Veja o quadro:

Anorexia verdadeira: Causa – orgânica (doença física). Ocorre durante toda a fase da doença física. Acaba levando a criança à desnutrição
Anorexia comportamental: Causa – emocional (psicológica). Ocorre nas fases em que há problemas psicológicos. Na maioria dos casos a criança mantém peso normal

A anorexia comportamental está ligada, portanto, a problemas psicológicos. A criança quer sentir-se importante, o centro de todo o interesse da família, sente a necessidade de chamar a atenção da mãe e, para isso, usa a alimentação como uma “arma poderosa” para dominar, ferir ou se vingar dos pais. Dentro da anorexia comportamental, há mais dois tipos. Veja:

Anorexia Aparente: Ocorre por superalimentação que os pais impõem aos filhos. Criança tem peso normal.
Falsa Anorexia: Ocorre por “falso” relato dos pais. A criança é diagnosticada erroneamente. Criança tem peso normal ou sobrepeso

Muitas vezes, a criança com falta de apetite está se defendendo contra a superalimentação, pois a família serve porções que seriam indicadas a um adulto. Também há uma fase em que a criança se torna negativista e, por isso, recusa o alimento com o objetivo de chamar a atenção, ou por estar sentindo ciúmes de outro integrante da família.
Alimentação forçada, repreensões, contar histórias para comer, disciplina excessiva, podem levar à rejeição dos alimentos. Nesta fase, surgem muitos problemas por falta de compreensão e conhecimento dos pais. É importante lembrar que a anorexia é rara em crianças pobres, pois essas não podem se dar ao luxo de recusar os alimentos.