Disfagia (dificuldade de engolir): Saiba como se alimentar

Disfagia é a dificuldade no transporte do bolo alimentar através do esôfago (da faringe até estômago). As causas mais comuns são: carcinoma, esofagite, aperistalse idiopática (problemas de transporte do bolo alimentar sem causa conhecida). Para orientar a dieta, deve-se considerar os seguintes aspectos do paciente: o grau de disfagia, estado cognitivo, grau de independência alimentar, estado nutricional, preferência alimentares e condições sócio-econômicas (para indicar uma dieta que o paciente consiga manter).

PREFERIR:

  • Fazer várias refeições ao dia de pequenos volumes, como: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde 1, lanche da tarde 2, jantar e ceia (3 em 3 horas ou 4 em 4 horas).
  • Engrossar os alimentos líquidos, tornando-os pastosos:
    • Leite espessado com 10 a 20% de cereais (mucilagem, amido de milho, farinha de aveia, farinha láctea);
    • Creme de leite, queijos macios, massas bem cozidas com molhos espessados, iogurtes, ensopados e sopas cremosas.
    • Hortaliças, vegetais: torná-los pastosos transformando-os em purês, suflés.
    • Sucos de frutas espessados, frutas em conserva, purês e papas de frutas,
    • Pudins, flans, sorvetes, gelatinas, biscoitos com leite, etc.
  • Pode-se usar espessantes de alimentos, como a farinha de trigo, amido de milho ou produtos industrializados hospitalares.
  • Enriquecer a alimentação, tornando-a calórica para evitar desnutrição.
  • Avaliar a necessidade de uso de sonda nasogástrica, em caso de desnutrição.

EVITAR:

  • Alimentos muito líquidos, como água, refrescos, leite puro, café puro, chá, etc;
  • Alimentos secos, crocantes e duros, como biscoitos, torradas, flocos de cereais, miolo de pão, balas, etc;
  • Queijos derretidos;
  • Peixes com espinhas;
  • Frutas cruas (exceto a banana) e secas (como uva passa, damasco, etc);
  • Frutas muito fibrosas (laranja, abacaxi, manga) e vegetais crus ou ralados.

Nutrição e gastroenterologia: uma união muito importante!

By |2016-08-29T17:20:17+00:0018/01/2016|Categories: Alimentação, Nutrição e Saúde|Tags: , |