Cuidados com alimentação que podem ajudar na diminuição da flatulência (gases)

Flatulência aumentada pode acontecer pelas possíveis causas: ar deglutido com os alimentos (comer rápido ou falando muito durante a refeição), gases derivados dos próprios alimentos, produção de enzimas digestivas deficientes pelo organismo (má digestão), e gases provenientes da ação das bactérias presentes na microbiota alterada (disbiose).

É conveniente evitar os alimentos de difícil digestão, como: abacate, agrião, alho, alimentos gordurosos, banana d’água, batata-doce, bebidas gasosas, bebidas fermentadas tipo cerveja, brócolis, carnes gordas, cebola, creme de leite integral, couve-flor, couve, doces concentrados, embutidos, fava, feijão, frutas oleaginosas, goiaba, grão-de-bico, jaca, lentilha, melão, melancia, milho verde, molhos concentrados, nabo, ovo cozido, pepino, pimentão, queijos concentrados tipo roquefort e parmesão, rabanete, refrigerantes, repolho, uva, vísceras.

Também pode ser conveniente evitar os alimentos ricos em enxofre, como: agrião, couve, jaca, feijão, lentilha, ervilha, melão, melancia, milho verde, nabo, ovo cozido, pepino, pimentão, uva, couve-flor, rabanete, repolho, cebola, alho, brócolis, batata-doce, gengibre.

Antes de simplesmente deixar de consumi-los, você pode fazer alguns testes e até mesmo um diário para tentar identificar quais alimentos te causam flatulência, pois além de serem na sua maioria saudáveis, nem todos os alimentos descritos podem realmente causar desconfortos em todas as pessoas. São apenas alimentos potencialmente capazes de causar desconforto. Às vezes acontece de a pessoa ter o hábito de servir-se na mesma refeição de vários alimentos causadores de flatulência. Exemplo: carne, arroz, feijão preto, salada de brócolis, couve-flor, cebola e alface. E poderia ser: carne, arroz, lentilha, salada de brócolis, abobrinha, tomate e alface. Ou seja, a quantidade menor de alimentos capazes de gerar gases pode ser suficiente para a melhora, não sendo necessário excluir alimentos, mas sim um “rodízio” entre eles e incluindo mais de outros alimentos que não causam gases.

Caso não resolva ou você não consiga identificar os alimentos, a causa da flatulência pode ser outra, como citado anteriormente: microbiota alterada (disbiose) e/ou má digestão (enzimas deficientes). Nesse caso, uma nutricionista funcional poderá te ajudar bastante.

Outras estratégias que podem ajudar são as comportamentais, como comer devagar, com calma, mastigando bem os alimentos, para facilitar a  digestão.

Chás como erva-doce e funcho podem ajudar a aliviar o desconforto gerado pelos gases.

Nutrição e gastroenterologia: uma união importante!