“Comer ou não comer”: vença as batalhas internas!

O diálogo (ou batalha) mental mais comum enquanto se está fazendo uma dieta é aquele de sempre: “Eu quero muito mesmo comer isso, mas não sei se devo. Mas eu quero muito mesmo… Eu não deveria, mas gostaria muito. Sei que não está na minha dieta, mas azar, não me importo, vou comer mesmo assim, só hoje”.

Essas situações de argumentação interna geram muita tensão, desconforto, tanto físico quanto emocional. É uma luta! Você se sente atraído pela ideia de que comer aliviará a tensão. Uma vez que decidiu comer, a tensão cede imediatamente. Mas você pode decidir fazer outra coisa para reduzir essas tensões. Da mesma forma que comer pode aliviar a tensão, não comer também pode! Sabia?

Você possui uma dieta escrita, em uma folha, que serve para ajudá-lo a tomar decisões quanto ao que comer, mas não significa que a mesma elimina suas indecisões e desejos. As batalhas de discussão interna (comer ou não comer este alimento) serão travadas independentemente da melhor dieta prescrita, pois os estímulos para comer são infinitos.

Mas a solução é direta: Diga para si mesmo que você não tem escolha! Você tem um plano alimentar e irá segui-lo sem “se”, “e” ou “mas”! Ao dizer firmemente NÃO TENHO ESCOLHA, você minimiza a dificuldade e alivia o desconforto da dúvida. Pense em todas as regras com as quais você convive na vida. Você fica em dúvida se deve ou não escovar os dentes? Imagine o aborrecimento que seria ter que esforçar-se todos os dias para cumprir tarefas tão triviais! Porém, você não se aborrece por que já tem uma regra: Tenho que escovar os meus dentes todos os dias.

Quando você estabelece a regra do Não Tenho Escolha, você nem chega a pensar muito nela, simplesmente a segue. Não precisa se esforçar, não entra em conflito, não se sente em privação e não acaba comendo alimentos que mais tarde te farão sentir culpa.

Outras regras podem ser estabelecidas, como:

– comer um prato de comida equilibrado no almoço;

– não comer alimentos de má qualidade depois do jantar;

– comer apenas vegetais crus enquanto cozinho;

– quando comer fora de casa, comer apenas 25% a mais do que, normalmente, come em casa.

Toda vez que sentir dúvida novamente se deve ou não comer um alimento fora do seu plano alimentar, pense firmemente: Não tenho escolha. Se você tiver o pensamento sabotador “Mas eu mereço comer o que eu quiser”, pense de forma adaptativa para si mesmo: “Se eu desejo obter todos os benefícios de ser magro, não posso comer nada que não seja planejado. Eu mereço ser magro e me sentir bem”. Outro pensamento sabotador pode incomodar você, por exemplo “Não acho que eu consiga aceitar o fato de não poder comer espontaneamente”, então pense de forma adaptativa novamente: “Eu tenho me permitido escolher sobre o que, quando e quanto comer durante muito tempo, por isso parece natural e certo comer assim. No entanto, tenho que encarar o fato de que a alimentação espontânea não está funcionando para mim. Quanto mais eu falar para mim mesmo que Não Tenho Escolha, menos eu terei que me esforçar na hora de tomar as minhas decisões”.

Desejo foco e boas escolhas na sua Reeducação Alimentar!

Esse texto foi escrito baseado no meu método de atendimento para emagrecimento: coaching e abordagem cognitivo comportamental para reeducação alimentar.